links favoritos

beer-coasters.eu

 

 

 

DICAS PARA MELHOR APRECIAR HIDROMEL

O hidromel é uma bebida ainda muito pouco conhecida e cujas qualidades são, por vezes, de difícil percepção por parte de um consumidor ocasional. Para além do mais, as variedades de hidromel existentes no mercado são inúmeras e a qualidade bastante variável. Portanto, o que analisar primeiro? 

Abordemos primeiro a parte visual:

  • Cor – brilhante ou baça;
  • Transparência – totalmente transparente ou só ligeiramente;
  • Sedimento – o hidromel precisa de ser decantado? Apresenta resíduo?

Passemos à parte olfactiva:

  • Aprecie bem o aroma do hidromel, o seu bouquet. Repita o gesto para ver se descobre novos aromas ou se este vai evoluindo no seu sistema sensorial;

Vamos à parte melhor, a degustação:

  • Beba uma pequena quantidade e retenha o líquido por breves momentos na sua boca. Tente identificar os sabores que mais se destacam e, se possível, os sabores secundários, também eles essenciais para uma completa percepção do produto. Aguarde pelo menos 15 segundos até beber novamente. Lembre-se que os dois primeiros goles são fulcrais para a ideia com que vamos ficar da bebida.

Feita esta primeira abordagem, vamos então tentar compreender um pouco melhor como apreciar esta bebida. O hidromel de melhor qualidade exibe características idênticas ao mel que se usou na sua elaboração. Tal como o vinho ou o champanhe, o hidromel pode ser doce ou seco. O estilo produzido depende essencialmente de três factores: o tipo de levedura, a quantidade de mel usada na produção e o tempo de fermentação. Tal como acontece com as cervejas, que requerem um cuidado equilíbrio entre o amargor dado pelo lúpulo e o doce fornecido pelo malte, também no hidromel se podem utilizar determinados ingredientes para ocultar ou fazer sobressair uma dada característica. Se um hidromel ficou demasiado doce, pode-se tentar equilibrá-lo através da utilização de ácido cítrico, málico ou tartárico. Por vezes são usados outros aditivos para dar sabor, o que permite criar uma enorme variedade de estilos.

No final do processo produtivo, o fabricante de hidromel tem ainda uma outra opção a fazer: se irá produzir um hidromel com ou sem gás. Se a escolha recair na elaboração de um hidromel com gás, a carbonatação pode ser induzida naturalmente, através de uma fermentação em garrafa semelhante ao método champenoise. Se se preferir, pode-se utilizar a carbonatação forçada, através da injecção de CO2. Um bom hidromel, seco e carbonatado, pode assemelhar-se surpreendentemente a um champanhe com notas de mel. Não quero com isto dizer que um hidromel “liso” seja menos agradável ou aconselhável. Apenas serve para demonstrar a qualidade que um produto bem executado pode atingir.

Os preparativos para a degustação de um hidromel são quase tão importantes como a qualidade deste. Tal como acontece com a maior parte das bebidas, a temperatura a que o hidromel é servido é uma fase essencial para o desenvolvimento de uma prova correcta. Se possível utilize um jarro decantador idêntico ao que costuma usar para arejar o vinho ou para o separar o seu depósito. O hidromel precisa de “respirar” por forma a libertar todos aqueles maravilhosos componentes que, de algum modo, ainda se encontram escondidos. Por outro lado, esta é uma bebida que melhora com um correcto envelhecimento. Aliás, há certas marcas que passaram a optar por envelhecer os seus hidroméis em barris de madeira. Não é por isso de surpreender que surjam produtos com dois e três anos de envelhecimento. Um exemplo extremo mas de excepcional qualidade é uma variante polaca chamada Jadwiga, cujo conteúdo alcoólico ronda os 17% e que estagia em média 25 anos antes de ser engarrafado. Há um bom teste que se pode fazer: compre duas garrafas de hidromel da mesma marca. Enquanto aprecia a primeira, aproveite para guardar a segunda por pelo menos um ano. Quando experimentar a segunda será que nota alguma diferença? Pois, é capaz de ser difícil relembrar o que notou na primeira prova mas não deixa de ser um bom exercício à sua resistência à tentação. Refira-se ainda que o melomel (junção de mel com uma determinada fruta) e o hidromel com teor alcoólico inferior a 11% devem ser consumidos num prazo máximo de dois anos.

Finalmente, abordemos a questão das condições de armazenamento. O hidromel deve ser acondicionado em locais escuros e secos, a temperaturas que deverão oscilar em média entre os 12-18º C. Apesar de tudo, dadas as fabulosas qualidades naturais do mel, uns dias de calor excessivo ou sol directo não irão por certo afectar as propriedades do hidromel. Trata-se de uma bebida extremamente resistente e que certamente apreciará. Sirva como aperitivo ou a acompanhar uma sobremesa, tal como faria com um bom vinho do porto ou um moscatel.

Publicado a 29/10/2008

Google