links favoritos

beer-coasters.eu

 

 

Sites Mais Úteis - Directório de Páginas Web em Portugal

 

 

À BASE DE CERVEJA - PIVNAYA KRUZHKA

Cervejeira: Pivnaya Kruzhka, Pushkin, Rússia

Webpage: http://pivkarta.ru/place/show/62/pivnaya-kruzhka/  (não oficial)

Nem só de cervejas e cervejeiras vive a minha colecção de bases. Na realidade, colecciono todo o tipo de bases que estejam relacionadas com a cerveja tais como as de associações de consumidores, festivais, lojas ou bares/cervejarias. Entra neste lote a base de hoje.

A Pivnaya Kruzhka é uma cervejaria localizada em Pushkin, nos arredores de São Petersburgo (existe uma cadeia de restaurantes com o mesmo nome em Moscovo e que tem a sua própria marca de cerveja, mas não estão relacionadas). Não sei muitos mais pormenores sobre ela, mas tendo em conta o actual panorama cervejeiro russo, certamente contará com um bom número de cervejas locais e de importação. Quem sabe se um dia não se transformará num brewpub como os vizinhos Tinkoff e Karl & Friedrich.

O termo cervejaria em Portugal, infelizmente, não é sinónimo de uma grande variedade de cervejas ou da fabricação das mesmas. É apenas um indicador de um estabelecimento onde se vende uma ou duas cervejas…

Mas nem sempre foi assim. Em meados do século XIX, haviam em Lisboa uma mão cheia de cervejarias que comercializavam a sua própria cerveja e cujos nomes, alguns, ainda hoje são reconhecíveis: Trindade, Jansen, Leão de Ouro, Alemã ou Portugália. Casas de tertúlia por excelência, numa época em que os consumidores davam muito mais atenção à nobre bebida, ficaram para sempre ligadas, quer à história da cerveja em Portugal, quer ao nosso património cultural. Os painéis de azulejo da Trindade, o nascimento do modernismo literário com o grupo da revista Orpheu na Jansen ou a introdução do naturalismo na Leão de Ouro (imortalizado por Columbano no quadro "O Grupo do Leão") atestam a sua importância.

Com as fusões das casas-mães destas cervejarias a sua singularidade foi-se desvanecendo até se transformarem (as resistentes) em restaurantes que servem as mesmíssimas cervejas que podemos encontrar noutro qualquer estabelecimento.

Nos finais do século passado, com o crescimento do consumo de cerveja no nosso país, surgiram vários projectos que deram novo alento aos apreciadores de cerveja. A fundação da Cervejeira Lusitana com fábrica própria em Carnaxide (após um início onde era produzida na Alemanha), a abertura de um brewpub da cadeira francesa Frog (The Frog at Expo) e a criação do conceito República da Cerveja foram momentos assinaláveis em Lisboa. Também no resto do país outros fabricantes surgiram assinalando-se o início da fabricação de cerveja no Day After em Viseu, no Ministério da Cerveja em Faro, na Fábrica do Inglês em Silves e na Beerhouse Madeira no Funchal.

No entanto, a economia, o desinteresse dos consumidores ou uma conjugação destes factores leva-nos hoje, em 2009, a um panorama desolador:

  • O Frog fechou e o Day After aparentemente também.

  • A Fábrica do Inglês deixou de produzir.

  • A Lusitana deixou de fabricar cerveja (os fermentadores deram lugar a um parque de estacionamento) deixando essa tarefa para terceiros e deixando cair a qualidade e variedade dos produtos iniciais.

  • O Ministério da Cerveja trocou a sala de brassagem por uma sala de restaurante para fumadores.

  • A República da Cerveja, cuja produção desde o início foi sempre assegurada pela Unicer, tem reduzido o número de cervejas produzidas.

Resiste estoicamente a Beerhouse Madeira alimentada pelos turistas que visitam a Marina.

Mas nem tudo são más notícias. Acaba de abrir uma nova cervejaria com fabricação própria, a Praxis, em Coimbra. Um projecto corajoso face à actual conjuntura que, haja qualidade no produto e maturidade por parte dos consumidores para o apreciar, será certamente um grande passo para o relançamento das cervejarias tal como existiam no século XIX.

Não somos um país de tradição cervejeira mas as novas gerações tem mais apetência para a procura e o reconhecimento de produtos diferentes e de qualidade. Esperemos que essa nova atitude seja cada vez mais extensível ao mundo da cerveja e que as novas exigências levem à criação de mais e melhores cervejas.

Google