links favoritos

 

 

 

 

UMA VISITA À CENTAL DE CERVEJAS - Foto-REPORtAGEM

No passado dia 12 de Novembro tivemos o privilégio de, em conjunto com outros apreciadores e curiosos do fenómeno cervejeiro, efectuar uma visita à fábrica da Central de Cervejas em Vialonga. O convite partiu do Eng.º Philippe Godineau, técnico da empresa, e teve a organização a cargo da Loja da Cerveja Caseira. A Fábrica de Vialonga constitui a sede da SCC - Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, S.A. e é aqui que são produzidas e engarrafadas as marcas de cerveja Sagres e as suas variantes, com e sem álcool, a marca Imperial, bem como outras específicas para clientes e mercados de exportação. Esta fábrica foi inaugurada a 22 de Junho de 1968, representou um investimento de 360 mil contos e tinha capacidade para produzir 110 milhões de litros de cerveja, 21 milhões de litros de refrigerantes e 50 mil toneladas de malte.

Elaborámos uma pequena foto-reportagem para que fique a conhecer um pouco melhor a história da fábrica e da própria Central de Cervejas, ao mesmo tempo que procuramos aguçar o apetite para que, dentro em breve, possa ser você a efectuar essa visita.

1) Começámos a visita pela instalação piloto de micro-maltagem. Na imagem, algumas latas e garrafas expostas nesse espaço.

2) Equipamentos da instalação de micro-maltagem.

3) Um dos equipamentos mais ao pormenor.

4) E outro.

5) Ao longo da fábrica é possível apreciar alguns equipamentos que fizeram a história da Central de Cervejas.

6) Dentro da maltaria, chegámos a uma zona de importância fulcral: os silos onde se procede à molha do cereal. Cada um destes silos comporta 45 toneladas de cereal. E existem 4 ao todo!

7) Mais em pormenor, o mecanismo rotativo que procede à molha do cereal.

8) Esta é a estufa gigante, onde se procede à secagem do malte. Comporta 90 toneladas de cevada. Parecia que estávamos dentro de uma sauna de proporções colossais!

9) Ainda dentro da estufa.

10) Novamente os silos onde a cevada é molhada tendo em vista a germinação e posterior transformação em malte.

11) Este é o quadro do computador que controla os diferentes processos de transformação da cevada em malte. Como se pode perceber, temos a fase da molha, germinação, secagem, desradiculagem e frio.

12) E este é o enorme tanque de germinação.

13) Eis o magnífico espaço onde se produz o mosto. Em grande plano as lindíssimas caldeiras.

14) Para se assegurarem da qualidade da matéria-prima e produto final, os técnicos da Central de Cervejas realizam centenas de testes anualmente. Esta é pois a zona do laboratório, onde também se investigam novos produtos e conceitos.

15) Mais uma imagem das caldeiras e de um dos filtros.

16) Tudo nesta fábrica toma proporções fora do comum. Este é o moinho onde se procede à moagem do malte.

17) Esta imagem fará por certo sorrir quem produz cerveja em casa ou de forma artesanal. Este enorme tanque é simplesmente o local onde se faz a propagação da levedura!

18) Eis-nos chegados a uma parte também ela extremamente importante da fábrica e que, como podem perceber, ocupa um espaço substancial desta: a linha de enchimento.

19) O ritmo é intenso e o barulho muito, motivo pelo qual os funcionários utilizam protecções auditivas.

20) Aqui enchiam-se latas com a cerveja Sagres Zer0%.

21) Outro equipamento monstruoso, neste caso a máquina que faz a lavagem das garrafas retornáveis

22) O bar da fábrica, anexo ao pequeno museu, onde se podem degustar algumas das cervejas produzidas nesta fábrica da SCC. A Bohemia estava excelente!

23) O museu da fábrica, onde constam algumas preciosidades da história da cerveja em Portugal.

24) Expositor com a actual gama da Sagres.

Em conclusão: foi uma visita magnífica, que proprocionou a todos os que puderam participar uma visão diferente, mais profunda, de todo o processo de produção da cerveja. É bom também saber que, por detrás de uma grande indústria, moderna e adaptada às leis de mercado, não deixam de estar pessoas e, acima de tudo, cervejeiros, que se preocupam não apenas com aquilo que produzem, mas igualmente com o consumidor e a preservação da imagem de uma marca que esteve e estará sempre ligada à história da cerveja em Portugal: a Sagres.

É possível realizar visitas à fábrica, podendo efectuar-se marcações através da linha de apoio ao cliente da empresa (mais informações aqui). Caso não possa deslocar-se à fábrica, sempre poderá fazer uma visita virtual que está disponível a partir deste link.

Resta-nos agradecer ao Fernando da Loja da Cerveja Caseira pela forma como organizou a nossa ida a Vialonga, ao Philippe Godineau, nosso anfitrião e aos restantes elementos da Central de Cervejas, que nos abriram as portas da sua fábrica e nos acolheram de forma magnífica.

Google