links favoritos

 

 

A CERVEJA E O COLESTEROL

Quando realizamos um teste sanguíneo ao nível de colesterol, os resultados revelam informação acerca de três tipos de lípidos: LDL (low-density lipoprotein cholesterol), também conhecido como o "mau" colesterol; HDL (high-density lipoprotein), por vezes também chamado de "bom" colesterol; e os triglicéridos, um tipo de gordura que tende a entupir as artérias.

Para se ter um colesterol de tipo LDL a um nível saudável, os valores medidos devem ser inferiores a 130 mg/dL (miligramas por decilitro de sangue). Caso uma pessoa possua factores de risco adicionais no que concerne a doença coronária, tais como pressão arterial elevada, diabetes ou obesidade, é bem possível que o médico aconselhe que esse valor seja inferior a 70 mg/dL. Relativamente aos triglicéridos, a Associação Americana do Coração (American Heart Association) recomenda valores abaixo de 100 mg/dL (relatório de Abril de 2011), apesar de ser aceite como bom valores inferiores a 150. Níveis de HDL superiores a 60 mg/dL ajudam a prevenir contra doenças do coração e conexas.

Assim, enquanto que o LDL leva o colesterol para as células e facilita a deposição de gordura nos vasos, o HDL faz o inverso, promove a retirada do excesso de colesterol, inclusive das placas arteriais. A produção das lipoproteínas é regulada pelos níveis de colesterol. Colesterol derivado de gorduras saturadas e gordura trans favorecem a produção de LDL enquanto que gordura insaturada, encontrada no azeite, peixes e amêndoas, por exemplo, promove a produção do HDL. Uma dieta rica em gorduras insaturadas e pobres em saturadas está indicada para todas as pessoas. O aumento do colesterol LDL está relacionado a factores genéticos e alimentares. Uma vez que 75% do colesterol é endógeno e apenas 25% vem da alimentação, algumas pessoas não conseguem normalizar os níveis de LDL apenas com dieta e precisam tomar medicamentos. Exercícios físicos também ajudam a elevar o HDL e diminuir o LDL.

A CERVEJA E OS TRIGLICÉRIDOS

Muitos dos alimentos que ingerimos diariamente contêm gorduras, nomeadamente saturadas, e ainda açúcar e álcool, elementos que podem elevar o nosso nível de triglicéridos. Infelizmente, beber cerveja em excesso pode levar a um aumento substancial desse nível. Logo, para podermos aproveitar os benefícios que o consumo moderado de cerveja pode trazer, não devemos ingerir mais do que duas garrafas de 33cl/dia para os homens e uma a uma garrafa e meia de 33cl por dia para as mulheres. Este valor pode ser significativamente inferior se estivermos a falar de pessoas muito jovens, idosas, debilitadas ou quando o consumo de cerveja é acompanhado pelo consumo de outras bebidas alcoólicas, como vinho ou licores, por exemplo. Por outro lado, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas pode acarretar um aumento do peso corporal, o que pode equivaler a uma subida do colesterol LDL e dos triglicéridos, o que potencia os riscos de doença coronária.

Como se percebe, os triglicéridos são um problema e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas não ajuda a controlar o seu nível, antes pelo contrário. Para além do mais, a influência dos triglicéridos na formação e progressão da aterosclerose tem vindo a ganhar especial relevo. Especificamente, a formação das partículas de lipoproteínas ricas em triglicéridos e os seus resíduos na corrente sanguínea estão associados ao aumento do risco de aterosclerose. Em consequência, a associação já aceite entre a presença de triglicéridos no sangue em valores elevados e o risco cardiovascular conduziu a uma revisão da abordagem ao diagnóstico e tratamento do mesmo.

Ainda assim, nem tudo são más notícias. Diversos estudos científicos mostram uma correlação entre uma ingestão moderada de cerveja e benefícios ao nível da redução do colesterol LDL e de outros factores de risco para a doença coronária. Pode ler mais sobre o assunto aqui, aqui, ou aqui.

Em conclusão, desde que o consumo de cerveja se faça de uma forma moderada e equilibrada, não há uma contribuição significativa desta bebida para um aumento perigoso do nível de "mau" colesterol e de triglicéridos. Claro está que cada pessoa é um caso particular e em situação de dúvida o melhor é consultar um médico. De igual modo, outros factores há que originam níveis elevados de "mau" colesterol, a começar por uma má alimentação, causas genéticas, pouco exercício, fumar, descansar e relaxar pouco. Portanto, procure ter uma vida saudável e sem exageros. Isso trará por certo condições para uma diminuição do risco de vir a ter doença coronária e outras ligadas ao excesso de mau colesterol.

Bibliografia:

  1. MayoClinic.com; High Cholesterol -- Tests and Diagnosis; June 24, 2010.

  2. American Heart Association; Diet, Lifestyle Changes Can Significantly Reduce Triglyceride; April 18, 2011.

  3. MayoClinic.com; High Cholesterol -- Risk Factors; June 1, 2011.

  4. American Heart Association: Alcohol and Cardiovascular Disease.

  5. MayoClinic.com; High Cholesterol -- Lifestyle and Home Remedies; June 1, 2011.

  6. United States Department of Agriculture: Alcoholic Beverage, Beer, Regular, All.

Publicado a 31/08/2011

Google