20 perguntas frequentes

Pode-se conservar cerveja? Citando um dos maiores especialistas em cerveja do mundo, Michael Jackson: "se vir uma cerveja, faça-lhe um favor e beba-a. A cerveja não foi feita para envelhecer". Todavia, certas cervejas bastante encorpadas ou que têm um alto teor de lúpulo podem ser envelhecidas até atingirem uma maturidade total. A forma como a cerveja é acondicionada e manuseada irá ter uma grande influência na capacidade desta em envelhecer correctamente. As cervejas engarrafadas e em casco de pequenas empresas ou de produções familiares contêm ainda fermento activo e, por isso, deverão ser bebidas num curto espaço de tempo. As produções em larga escala com objectivos comerciais são, em geral, produtos filtrados e pasteurizados que removem/matam o fermento e permitem a estabilização do produto. Isso possibilita uma conservação por maior tempo desde que as cervejas estejam protegidas do excesso de calor ou de frio ou ainda de outras condições consideradas extremas

Como conservar cerveja? Habitualmente, a cerveja deverá ser guardada num local fresco e seco. Em climas mais quentes, isso obriga a um processo de refrigeração artificial, devendo ter-se o cuidado de não refrigerar demais para que a cerveja não perca as suas qualidades. Em climas mais temperados bastará guardá-la numa adega, onde ficará protegida de grandes mudanças de temperatura e de outros efeitos adversos. De facto, tudo deverá correr bem se as temperaturas forem mantidas entre os 2º e os 15º. É preciso ter em atenção que conservar a cerveja perto dos 15º ou mais poderá aumentar a rapidez com que a cerveja envelhece, já que o fermento nela existente estará mais activo.

É possível e legal fazer cerveja em casa? A resposta a esta pergunta não pode ser imediata, já que tudo depende da legislação em vigor em cada país. Por exemplo nos EUA, está fixado um determinado valor em litros até ao qual o indivíduo poderá fazer cerveja em casa para si e para a sua família sem ser taxado. No entanto, tal produção não poderá ser vendida. A maior parte dos países ocidentais têm uma legislação idêntica, pelo que poderá com certeza produzir a sua própria cerveja dentro dos limites legais estabelecidos.

A cerveja faz mal ou bem à saúde? Vários estudos foram efectuados para se aquilatar dos benefícios ou malefícios da cerveja. Chegou-se à conclusão que, se bebida de forma moderada, a cerveja pode trazer inúmeros benefícios ao organismo. Em primeiro lugar a cerveja é diurética. Para quantidades iguais de água e cerveja ingeridas, o organismo excreta bastante mais quando se bebe cerveja. Por outro lado, serve para saciar a sede já que pelo facto de conter mais de 90% de água, a cerveja pode contribuir para as necessidades diárias de água do corpo humano, que são de 1,5 a 2,5 litros. Outros estudos revelam que pode ser benéfica para doentes com problemas coronários ou mesmo para pessoas propensas a terem cancro da mama ou do sistema digestivo. Finalmente, é muitas vezes recomendada por nutricionistas como elemento essencial para uma dieta equilibrada e saudável.

A cerveja engorda ou ajuda a formar "barriguinha"? A cerveja não contém gordura e o seu valor calórico chega a ser inferior ao de um copo de leite. Consumida moderadamente, a cerveja não é factor de obesidade e pode ser um bom complemento numa dieta equilibrada. Num estudo científico da University College of London, que observou cerca de 2000 homens e mulheres, não foi notada uma relação entre o consumo moderado de cerveja e o aumento significativo da linha de cintura ou do volume de corpo em geral, ou seja, constatou que a cerveja, consumida de modo equilibrado, não é factor de obesidade. Depois da sua publicação num jornal científico especializado, o European Journal of Clinical Nutrition, o estudo foi divulgado por alguns dos mais credíveis órgãos de imprensa internacional, designadamente: The Times - “Drinks all round as beer myth goes belly up”; Reuters Health - “Beer not to blame for your ‘beer belly’"; The New York Times - “The don’t blame the beer belly". Leia mais sobre o assunto aqui.

Qual é o país que produz melhor cerveja? Há vários países que produzem cerveja de muito boa qualidade, com várias marcas de diferentes estilos. Exemplos disso são os EUA, a Alemanha, a República Checa, a Holanda, a Inglaterra ou a Bélgica. Contudo, se tivermos em conta o tamanho do país e a diversidade e qualidade das suas cervejas, provavelmente a honra de melhor do mundo em termos cervejeiros irá para a Bélgica. É impressionante como um país tão pequeno possui tantas empresas dedicadas à produção de cerveja, que elaboram muitos estilos, alguns dos quais só aí existentes, conseguindo ao mesmo tempo manter uma qualidade muito elevada. Infelizmente, as palavras não são suficientes para descrever o culto que existe na Bélgica relativamente à cerveja. Só mesmo visitando.

Qual o país que produz mais cerveja? Ainda com os dados de 2002, o país que mais cerveja produziu no mundo foram os EUA, com algo semelhante a 23,8 biliões de litros de cerveja a sair das suas fábricas, sendo seguidos muito de perto pela China com 23,5 biliões de litros. Ora, como a produção de cerveja nos EUA tem vindo a decrescer ao longo dos últimos anos e o inverso tem acontecido na China, onde o consumo e a produção têm aumentado, não é difícil de imaginar que na actualidade seja já a China a líder mundial. Dúvidas não há relativamente ao terceiro classificado, a Alemanha com 10 biliões de litros, sendo seguida pelo Brasil, Rússia e Japão.

Existem bons livros sobre cerveja? Sim. E muitos! Infelizmente, a maior parte deles não estão traduzidos para português e as obras de origem nacional e de qualidade também não abundam. Em termos internacionais, há livros que abordam diversos aspectos da cultura da cerveja, como sejam a sua origem e história, colecções e coleccionadores, concursos de provas e características e mesmo como fazer em casa a sua própria cerveja. Por títulos, podemos destacar: "Michael Jackson's Great Beer Guide: 500 Classic Brews", de Michael Jackson (não, não é o cantor...); "The Brewmaster's Bible: The Gold Standard for Homebrewers", de Stephen Snyder;  "The Beer Drinker's Bible: Lore, Trivia & History", de Gregg Smith e Carrie Getty.

Existem boas revistas sobre cerveja? Em língua inglesa há várias e boas revistas, como por exemplo a "All About Beer", "Brew Your Own", "Zymurgy Magazine" e a "Beer Advocate", entre outras. São revistas que só encontrará em lojas especializadas e que façam importação ou caso proceda à sua subscrição. Já em Portugal passou a ser editada a partir de 2008, de forma trimestral, a Beer Passion/Paixão pela Cerveja, a única revista temática dedicada a esta tão apreciada bebida, com distribuição também no Brasil. Tem o apoio da Associação Portuguesa dos Produtores de Cerveja.

Qual a melhor cerveja do mundo? Esta é uma pergunta sem resposta óbvia ou fácil. Tudo depende do gosto de cada pessoa, do estilo de cerveja que se prefere e das experiências que já se viveram. Fazendo uma pesquisa rápida nos diversos sites que existem sobre classificação de cervejas, há duas ou três que aparecem quase sempre nos dez primeiros lugares. A saber: Westvleteren Abt 12, Rochefort Trappistes 10 e a Three Floyds Dark Lord Russian Imperial Stout, sendo que as duas primeiras são belgas e a última é norte-americana. Pessoalmente, também gosto muito da Westvleteren e da Rochefort, às quais juntaria a Orval, Bush Ambrée, Triple Karmeliet e a Chimay Bleu, entre muitas outras...

Que ingredientes são usados numa cerveja? Basicamente, uma cerveja é composta por água, malte, lúpulo e fermento. Por vezes, são utilizados outros ingredientes como milho e arroz que servem para dar sabor ou açucarar o produto. No caso do malte, este é, em geral, de cevada, apesar de também podermos encontrar de trigo, centeio, aveia ou arroz. Para dar mais cor ou sabor às cervejas podem-se adicionar outros ingredientes como frutas, especiarias, legumes ou mesmo substâncias mais estranhas como chocolate e malaguetas!

Qual a cerveja mais forte em termos de álcool? Esta questão da cerveja mais forte é muitas vezes utilizada pelas cervejeiras para fazer publicidade. Ainda há pouco tempo bebi uma cerveja francesa chamada Belzebuth que anunciava em letras garrafais "La bière blonde la plus forte du monde (13°)". Permitam-me discordar. Já vi cervejas louras com 14º e 15º de volume de álcool e é habitual ver notícias sobre pequenos produtores que fazem cervejas com 18% ou mais de álcool. Que eu tenha conhecimento, a cerveja mais forte do mundo que é vendida em larga escala é a Sam Adams Utopia MMII, com 25º ABV. Antes desta, o título de mais forte ia também para uma Sam Adams, neste caso a Millenium com 21º. Só para exemplificar a excelência desta cerveja, diga-se que foi envelhecida em barris de conhaque, porto e whisky e que, entre outros ingredientes, é feita com caramelo, malte de Viena e um fermento similar ao que é utilizado para produzir champanhe.

Que é preferível: beber pelo copo, garrafa ou lata? Sempre que possível deve-se beber pelo copo. Se for um copo adequado ao estilo da cerveja tanto melhor. Em caso de não haver um copo à disposição, se tivermos a possibilidade de optar entre beber por uma garrafa ou por uma lata, aconselhamos a escolher a primeira. Há menos hipóteses de o vidro contaminar a cerveja com sabores estranhos do que o metal das latas, apesar de todo o cuidado posto pelos fabricantes na escolha dos materiais que as compõem. No entanto, fica sempre uma sensação metálica no palato pelo que, em caso de poder escolher, compre sempre a cerveja que pretende engarrafada e não enlatada.

O que torna uma cerveja escura? O malte pode ser torrado até atingir várias colorações, dependendo do sabor e do estilo que se pretende dar à cerveja. É pois ao uso selectivo de malte torrado que se devem as várias tonalidades das cervejas. É claro que há excepções, como no caso das cervejas de fruta ou das lambics, que muitas vezes ganham a cor da fruta que é utilizada na sua confecção.

Porque é que os ingleses bebem a cerveja quente? Trata-se de uma mistificação que não corresponde à realidade. Os ingleses, irlandeses e outros povos, não bebem as cervejas aquecidas. É verdade que têm misturas que podem ir ao lume mas as cervejas que habitualmente bebem nos pubs não estão quentes. Apenas não estão estupidamente frias! De facto, há certos tipos de cerveja que não se devem beber muito gelados, pois tal faria com que estas perdessem certas qualidades, para além de poder encobrir o aroma e os sabores. Tendo em consideração que alguns dos estilos que os ingleses mais bebem são as porters e stouts, estilos esses que não precisam de estar muito frios, logo se percebe que eles não bebem a cerveja quente, apesar de a poderem beber à temperatura ambiente.

Qual o país onde se bebe mais cerveja no mundo? E o primeiro lugar vai para.... a República Checa! Surpreendente, não?! Muitos pensaríamos que seriam os alemães ou os ingleses, mas não. Os checos batem todos estes povos ao beberem 162 litros por ano e por pessoa (dados de 2003). Em segundo lugar surgem os irlandeses com 146 litros per capita e só em terceiro lugar aparecem os alemães, sendo que cada um bebe por ano uma média de 123 litros. Por curiosidade, esta análise incluía os 10 países com maior consumo per capita de cerveja, sendo que Portugal não constava dessa lista (em 2001, numa lista de 20 países, estávamos em 19º lugar!).

            

Por curiosidade, pode-se também referir os países onde se bebe menos cerveja. No topo desta lista, e como seria de esperar, aparecem alguns países islâmicos como o Irão,  Kuwait, Líbia, Somália, Arábia Saudita e Bangladesh, locais onde a estatística aponta para um consumo de 0 litros per capita. A seguir a estes, surge o Gabão, aquele que pode verdadeiramente ser considerado o país onde se consome menos quantidade de cerveja por pessoa (dados da Organização Mundial de Saúde).

É verdade que quanto mais escura for a cerveja, mais forte é em termos alcoólicos? A aparência de uma cerveja não tem nada a ver com o seu teor alcoólico. Já me aconteceu estar a beber uma cerveja preta e um amigo dizer-me: "Grande maluco! Queres apanhar uma piela!". Quase não acreditava quando eu lhe disse que a cerveja que estava a beber tinha menos álcool do que uma Sagres ou uma Super Bock. De facto, já bebi cervejas louras com 14% de volume alcoólico e cervejas pretas com 3% ABV (alcohol by volume). A diferença entre uma cerveja loura e uma preta reside apenas nos ingredientes utilizados, nomeadamente no facto do malte ser torrado ou não. O álcool não tem qualquer tipo de relação.

O que é o malte? O malte, ingrediente essencial à elaboração de cerveja, deriva de um tipo especial de cevada chamada dística que, depois de submetida às operações de limpeza, selecção, calibragem, pesagem, lavagem e molha, germinação, suspensão da germinação em estufa, desgerminação (ou corte das radículas), estufagem (à temperatura mais ou menos alta segundo os tipos de cerveja a obter), está pronta a ser utilizada. Este último processo pode servir para se obterem cervejas pretas, sendo que para isso e depois de todas as operações atrás descritas, o malte é ainda fumado ou mesmo torrado.

O que são cervejas de fruta? As cervejas de fruta (Fruit beers) são, em geral, baseadas em lambics, cervejas de trigo que são fermentadas por processos naturais. De facto, a uma base de lambic é misturada fruta ou xarope de fruta para que se produza uma nova fermentação. A bebida ganha assim a cor, aroma e sabor das frutas utilizadas. Essas frutas podem ser cerejas (kriek), framboesas (framboise), pêssego, ananás, ameixas, etc. As Fruit Beer são cervejas frescas e leves, muito populares na Bélgica, Holanda e França, independentemente de qualquer apreciador de cerveja poder gostar deste estilo.

O que é uma cerveja "ice"? As Ice Beer envolvem a redução da temperatura da cerveja até que se formem cristais de gelo. Considerando que o álcool tem um ponto de congelação mais baixo que o da água e não forma cristais, quando o gelo é filtrado a concentração de álcool aumenta. A cerveja daí resultante tem tendencialmente menos carácter do que outros estilos pois as partículas de proteína provenientes do fermento também ficam retidas no processo de filtragem. Conta-se que as Ice Beer foram desenvolvidas quase por acidente durante um Oktoberfest. As temperaturas nesse ano seriam tão baixas que as cervejas congelaram. Contudo, os participantes do festival gostaram do resultado pós-congelação, pelo que as cervejeiras adoptaram esse método para a produção de um novo tipo de cerveja.

Se quiser ver alguma dúvida esclarecida ou tiver alguma questão ou sugestão, não hesite em Contactar-nos!

Google