links favoritos

 

CERVEJAS KOSHER

Há milhões de judeus, um pouco por todo o mundo, que fazem questão de seguir o kashrut, isto é, as leis alimentares do judaísmo. A comida e a bebida, de acordo com a Halakhá (lei judaica) é chamada de kosher, do termo hebraico כשר (kashér), que significa "próprio" (neste caso, próprio para consumo pelos judeus, de acordo com a lei judaica). Nesse sentido, uma cerveja para ser um produto kosher tem de seguir determinados preceitos na sua elaboração.

Assim, para que um determinado alimento ou bebida seja considerado kosher, deve ser certificado por uma das diversas entidades que a nível mundial se dedicam a essa tarefa. Uma das maiores certificadoras mundiais é a Star-K, existindo, no entanto, comunidades a nível local que também realizam essa avaliação, como por exemplo a Certificado Kosher no Brasil ou a Portugal Kosher, localizada em Belmonte.

Se nos basearmos no kashrut, a maioria das cervejas não viola os princípios subjacentes à dieta alimentar aí definida. Isso significa que a cerveja é habitualmente kosher, visto que nenhum dos ingredientes ou aditivos normalmente utilizados vão directamente contra o kashrut. As excepções acontecem quando se introduzem ingredientes mais atípicos, como sejam alguns aditivos, corantes ou aromatizantes. A utilização de frutas, xarope de frutas ou especiarias, apenas para mencionar alguns, obriga a que a cerveja passe por um processo de certificação para verificar se é kosher. O mesmo se passa no que concerne às leveduras a usar: caso estas não sejam as típicas leveduras para produção de cerveja, situação que ocorre, para dar um exemplo, em cervejas de alto teor alcoólico, que requerem leveduras habitualmente empregues em outro tipo de bebidas, a cerveja necessita de ser certificada.

Ainda que as generalizações possam ser perigosas, podemos pois estabelecer a seguinte regra: todas as cervejas sem conservantes, aromatizantes e outros aditivos, isto é, que sejam produzidas com o recurso exclusivo aos quatro ingredientes base (água, malte, lúpulo e levedura) são aceitáveis mesmo sem uma certificação kosher. Esta generalização aplica-se a cervejas escuras (a cor deriva apenas do malte torrado) ou não alcoólicas. Por outro lado, todas as cervejas que incluam lactose - caso de muitas Milk Stout ou Sweet Stout - são não-kosher.

Os produtos que tenham sido certificados como kosher possuem um selo que os identifica como tal. Essa marca, chamada hekhsher, identifica o rabi ou a organização que procedeu à certificação. Note-se que uma determinada cerveja não é kosher para sempre. Alterações nos ingredientes ou nos processos de elaboração obrigam a uma nova verificação da conformidade com a kashrut. É pois sempre importante procurar pela marca kosher na embalagem do produto a consumir. 

Eis uma tabela que enumera alguma cervejas que ajudam a seguir uma dieta kosher, ainda que possam não possuir o hekhsher:

CERVEJA CERVEJEIRA PAÍS
Best Extra Stout Coopers Austrália
Original Pale Ale Coopers Austrália
Amber Dry Brick Canadá
Brick Premium Brick Canadá
Black Chocolate Stout Brooklyn E.U.A.
Blue Moon Coors E.U.A.
Boston Lager Samuel Adams E.U.A.
Oktoberfest JosephsBrau E.U:A.
Redbridge Gluten-free AB-Inbev E.U.A.
Shiner Bock Spoetzl E.U.A.
Signature Hefeweizen Kirkland E.U.A.
Sunshine Wheat New Belgium E.U.A.
Vienna Style Lager Trader Joe's E.U.A.
Shalom Kosher Ilzer Sörgyar Hungria

 

Publicado a 22/01/2012

Google