links favoritos

 

 

SANTO ARNALDO, PADROEIRO DOS CERVEJEIROS

Quem foi Santo Arnaldo e qual o motivo de ser considerado o santo padroeiro da cerveja e dos cervejeiros? Existem várias versões relativamente à sua vida e aos seus feitos, sendo que uma delas é defendida pelo “beerhunter” Michael Jackson e a outra pela Saint Arnold Brewing Co., de Houston. Aliás, esta empresa tem uma forte inclinação religiosa, algo constatável não apenas pelo seu nome mas também por atribuir nomes de santos às suas cervejas.

Segundo a Saint Arnold Brewing, a história do santo é a seguinte: Santo Arnaldo terá nascido por volta do ano de 580 no seio de uma proeminente família austríaca, que na altura habitava o Castelo de Lay-Saint-Christophe, localizado na antiga diocese de Toul, a norte de Nancy. Já na idade adulta viria a casar-se com Doda, união da qual resultaram inúmeros filhos, um dos quais também ficaria na história: Ansegisel. Este, por sua vez, viria a casar com Beggam filha de Pepin de Landen, o que faz com que Santo Arnaldo seja um dos ancestrais da dinastia carolíngia e, consequentemente, de Carlos Magno.


 

Santo Arnaldo foi aclamado bispo de Metz em 612 e, durante a sua vida religiosa, alguns dos seus sermões centravam-se na temática de que seria perigoso beber água. Assim, aconselhava os camponeses a, sempre que possível, preferirem a cerveja para matar a sede, algo que não é totalmente ilógico dadas as baixas condições de higiene da época, facto que tornava a água, na maior parte dos casos, imprópria para consumo humano. Como a cerveja passa por um processo de fervura e fermentação, muitos dos microrganismos perigosos acabavam por ser eliminados. Aliás, é atribuída a Santo Arnaldo a seguinte frase: “Do suor do Homem e do amor de Deus veio a cerveja ao mundo”. No final da sua vida, Santo Arnaldo retirou-se para um mosteiro perto de Remiremont, França, onde viria a falecer a 16 de Agosto de 640.

Em 641, os cidadãos de Metz requereram que o corpo do santo fosse exumado e transportado para a cidade, de forma a ser enterrado na Igreja dos Santos Apóstolos. Durante essa trasladação, ocorreu um milagre junto da cidade de Champignuelles. As pessoas que transportavam o santo e restantes peregrinos tinham parado junto a uma taberna para descansar e recuperar forças. Infelizmente, a taberna tinha ficado sem stock, estando apenas disponível uma única caneca de cerveja. O milagre terá acontecido aí, já que nunca essa caneca ficou vazia, independentemente da quantidade de cerveja que cada um bebesse, e assim todos puderam saciar a sua sede.

Já o cervejólogo Michael Jackson relata no seu livro “Great Beers of Belgium”: Santo Arnaldo foi um monge beneditino que viveu no século XI e que terá nascido em Tiegem, zona ocidental da Flandres. Pregou na abadia de St. Médard, próximo de Soissons (pequena povoação junto a Reims) e chegaria mesmo ao cargo de bispo, tornando-se responsável máximo na abadia de Oudenburg, localizada entre Ostend e Bruges. Numa altura em que a região era assolada por uma terrível peste, Santo Arnaldo terá submergido o seu crucifixo num barril de cerveja e proclamado que seria mais seguro beber cerveja do que água. Tal facto pôs um fim rápido à praga, sendo que os pressupostos são os mesmos da história anterior: considerando que a cerveja é fervida e posteriormente fermentada, tornava-se mais segura para beber do que grande parte da água disponível na Idade Média, que estava muitas vezes contaminada. Outra história relata ainda o milagre produzido por Santo Arnaldo, que conseguiu produzir cerveja numa abadia que tinha acabado de ser destruída.

Como se pode ver, existem algumas divergências entre a história da companhia cervejeira e a do grande Michael Jackson. Mas isso não é surpreendente. De facto, a dúvida sobre quem é o santo padoeiro dos cervejeiros mantém-se. Uns chamam-lhe Santo Arnaldo enquanto outros Santo Arnoldo. Para uns ele é Arnulf de Metz (582-640), enquanto que para outros é Arnold de Soissons (1040-1087). Enfim, as histórias cruzam-se e facilmente entramos no campo da lenda e do imaginário popular. Uma coisa é certa: Santo Arnaldo é o padroeiro dos cervejeiros!

Actualmente, Santo Arnaldo é homenageado um pouco por todo o mundo e, em especial, na Bélgica. Em Bruxelas, os cervejeiros locais mandam rezar uma missa em honra do santo, comemoração que faz parte do Dia da Cerveja. A seguir à missa realiza-se uma procissão cujo ponto alto é a sua passagem pela Grand Place. É uma procissão muito animada, que junta centenas de pessoas, algumas delas a cavalo, outras com diversos utensílios relacionados com a produção de cerveja, bandas de música, etc. Muito divertimento, muita cor e… muita cerveja!

Google